Kids

O Método Montessoriano aplicado ao quarto da criança

Como criar um ambiente que contribua positivamente para o desenvolvimento infantil?

A chegada de uma criança, ou a sua passagem para uma nova fase, despertam dúvidas sobre como preparar o quarto perfeito, um que seja ajustado aos padrões de beleza que seguimos e, mais importante, que possa contribuir o máximo possível para o seu desenvolvimento.

Mas como podemos manter a estética e, simultaneamente, respeitar as necessidades e comportamentos específicos de cada etapa?

Entre as várias correntes alternativas à educação formal, as duas que têm vindo a ganhar mais adeptos são a de Montessori e a de Waldorf. Na HomeLovers Mag, interessa-nos explorar várias e simples formas de como o design de interiores pode influenciar e contribuir positivamente para o desenvolvimento infantil. Hoje, vamos debruçar-nos sobre o Método Montessoriano.

Esta corrente, desenvolvida por volta de 1907 pela educadora e pedagoga Maria Montessori, propõe, entre outras coisas, a criação de um ambiente adequado e produtivo para o crescimento da criança. No que diz respeito à casa e, mais precisamente, ao quarto, este deve ser montado e estruturado de acordo com a óptica da criança e não do adulto, de maneira a permitir que os miúdos circulem livremente e em segurança no seu ambiente, explorando os objectos que estão ao seu alcance.

Num local rico e estimulante, a criança torna-se capaz de aprender sozinha através das suas próprias experiências, desenvolvendo-se de forma espontânea, criativa e saudável!

Como podemos começar?

1) Colchão no chão

O berço é um limitador de movimento, logo, é substituído por um colchão no chão ou por uma cama baixinha, para que a criança tenha mais independência para se levantar e deitar. Ao lado da cama, podemos colocar uma almofada ou um colchão para proteger, o que irá proporcionar estímulos sensoriais diferentes.

2) Tudo ao alcance das crianças

Os brinquedos, livros, jogos, fotografias, etc., devem privilegiar prateleiras e móveis baixos. Toda a restante decoração deverá, também, ser colocada ao nível dos olhos da criança.  

3) Minimalismo

A decoração deve ser minimalista, apenas com mobiliário essencial, para que a criança possa conhecer tudo o que tem ao seu redor. Para que essa exploração possa ser feita de forma segura, é bom abusar de materiais que proporcionem segurança aos pequenos, como tapetes de borracha, ou felpudos.

© HomeLovers

4) Proporção

Todo o quarto deve ser proporcional à criança. É uma questão de escala: para que as coisas estejam ao seu alcance, também os móveis devem ser mais pequenos, as mesas baixas, as cadeiras apropriadas a crianças, etc. Temos, naturalmente, tendência a criar o quarto à nossa escala e não à deles. Uma boa estratégia é gatinhar pelo espaço, de forma a experienciar como é que o seu filho se sente ao percorrer as diferentes áreas.

5) Escolha autónoma

Ter menos brinquedos leva a que haja maior autonomia de escolha. A criança conseguirá com facilidade identificar, entre meia dúzia de brinquedos, aquele com que lhe apetece mais brincar. Se houver muita oferta, será mais difícil de optar, acabando por não valorizar nenhum especificamente.

6) Estímulos

Segundo Maria Montessori, nos primeiros anos de vida, a criança elabora os próprios conceitos pela acção e pelo contacto com o mundo em que vive. Nesta fase, ela actua pela “mente absorvente” e os órgãos sensoriais são os catalisadores das informações necessárias.

Espelho: O espelho serve para que a criança se possa conhecer e entender que é uma pessoa distinta da mãe. Quando ainda não gatinha, esse espelho pode ser instalado na horizontal, ao lado da cama. Mais tarde, pode ficar na vertical, noutra parede. Para garantir a segurança dos pequenos, é importante que o espelho seja de acrílico e fique bem preso à parede.

Música: Leitor de CD ou um dispositivo com uma playlist divertida ajuda a estimular a coordenação motora da criança.

Móbile: No início, o recém-nascido não consegue focar objectos que estão muito longe, por isso, o móbile deve estar a 30 cm do bebé.

 

O ponto mais importante do método não é apenas a escolha dos materiais ou sua prática, mas a possibilidade de libertar a verdadeira natureza do indivíduo, promovendo o desenvolvimento da educação com base na evolução da criança. O Método Montessori é incrivelmente completo e complexo, voltaremos de certeza a ele em artigos futuros. 🙂

Se esta filosofia for ao encontro das suas necessidades, pode encontrar mais inspiração aqui e aqui.

Deixar uma resposta