Smart

Imobiliário: novos hábitos de habitação, nova oferta

Passará o futuro do mercado imobiliário por uma aposta na coabitação?
  • O Property Markets Group (PMG), um gigante norte-americano na área de aquisição e desenvolvimento imobiliário, vai entrar no mercado da coabitação.
  • Através da unidade PMGx, o grupo está a ir ao encontro dos requisitos dos nómadas urbanos.

O sector imobiliário encontra-se em plena transformação e o digital tem um papel determinante na aceleração desta revolução: desencadeou novos hábitos de habitação e promoveu o surgimento de novos players no mercado, tais como a WeLive (pertence à empresa de co-working WeWork), Ollie, CommonOpenDoor ou a One Third (criada pela FABERNOVEL).

O promotor imobiliário norte-americano PMG está a posicionar-se para ir ao encontro destas novas necessidades – maior conectividade, flexibilidade, mais serviços…- , através da entrada no mercado da coabitação. O grupo prepara-se para construir 3.500 unidades de coabitação, nos próximos 5 anos, nos Estados Unidos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

APOSTA NA EXPERIÊNCIA

Este é um posicionamento relevante para o PMG na medida em que, hoje, os requisitos dos nómadas urbanos assentam em novos critérios relativos à habitação. O grupo está a apostar na experiência através da oferta de novos serviços, com base em necessidades individuais, colectivas e profissionais. Os novos edifícios, que se vão inserir no segmento de luxo, oferecerão apartamentos privados (micro-estúdios, de forma a oferecer um preço competitivo) e partilhados. Mas vão dar prioridade, em termos de dimensão, às áreas comuns, com uma grande aposta nos espaços de co-working.

Além disso, é dado um grande ênfase à componente social: alguns dos edifícios terão espaços comuns no lobby, como cafés ou bares, e o staff do PMG servirá de promotor de diferentes eventos sociais.

A empresa está também a apostar na conectividade: os residentes poderão, por exemplo, utilizar uma App como chave para deixar entrar convidados, recolher encomendas num cacifo, pagar a renda, ou solicitar serviços de manutenção.

O PMG é bom exemplo de como os promotores imobiliários se estão a posicionar enquanto agregadores de serviços com valor de utilidade, tendo em conta aquilo que são os novos hábitos de habitação. A empresa percebeu a necessidade de manter a qualidade do serviço e, através de uma nova unidade que criou (PMGx), está a tentar ir ao encontro das novas necessidades.

Fonte: SuperToast by FABERNOVEL

Deixar uma resposta