Spots & Cities

Souto de Moura de Norte a Sul

Mergulhámos nas obras de um dos maiores arquitectos portugueses e o resultado foi um roteiro improvável de Norte a Sul do país.

Aproveitámos o facto de Souto de Moura ter recebido, no passado dia 15, o Prémio Europeu de Intervenção em Património Arquitectónico 2017, pela intervenção no Convento das Bernardas, em Tavira, para nos debruçarmos sobre a obra deste que é inequivocamente um dos maiores arquitectos portugueses. No início deste ano, já tinha sido distinguido com o Piranesi Prix de Rome 2017, um prémio de carreira atribuído pela Academia Adrianea de Arquitectura e Arqueologia Onlus, e foi a personalidade homenageada pelo festival Plast&Cine, em Abril, na cidade de Bragança. A estes juntam-se um sem número de reconhecimentos a nível nacional e internacional, incluindo o Pritzker, o maior galardão no que à arquitectura diz respeito, recebido em 2011.

Por ocasião da exposição “Continuidade”, em Junho do ano passado no CCB, Álvaro Siza Vieira afirmou, falando do amigo e companheiro de profissão e de Pritzker, que “não é obcecado pelo contexto (em todos os sentidos) em que intervém. Nem o ignora. Enche cadernos de esquissos a traço grosso, logo desenvolvidos com implacável rigor, definindo volumes e ajustando-os ao que hão-de conter, mergulhados na paisagem construída, ou não.” O nosso mergulho nas obras de Eduardo Souto de Moura deu origem a um roteiro improvável pelo nosso país, um passeio que aconselhamos vivamente a quem queira aproveitar os meses de Verão para o explorar de Norte a Sul.

BRAGANÇA – Centro de Arte Contemporânea Graça Morais 

Inaugurado em 2008 e dedicado à pintora transmontana Graça Morais, este centro situa-se no centro de Bragança e é uma adaptação do antigo Solar dos Vargas, do século XVIII, onde até 1993 funcionou a delegação do Banco de Portugal, a espaço museológico. O projecto de reabilitação englobou também a construção de um edifício adjacente, de linguagem assumidamente contemporânea, que recebe exposições temporárias.

5_1_640_640
© Centro de Arte Contemporânea Graça Morais

BRAGA – Estádio Municipal

Desenhado para o campeonato europeu de futebol de 2004, a casa do Sporting Clube de Braga ergue-se numa das encostas do Monte Castro, aproveitando uma antiga pedreira desactivada. É uma obra que enche as medidas de arquitectos, engenheiros, personalidades do mundo do futebol, e do próprio Souto de Moura, que afirma que este é o projecto que, inequivocamente, lhe deu mais gozo fazer. Nada como estar lá e admirar a cobertura inspirada nas pontes incas do Peru, as bancadas, a relação com a montanha, e por aí afora. Em 2015, o estádio recebeu um grupo de instagramers, que tiveram a oportunidade de explorar todas as linhas, escalas, sombras e volumes presentes no espaço- veja o resultado aqui.

Estádio SC Braga
© Leonardo Finotti

PORTO – Metro do Porto

Souto de Moura foi arquitecto chefe da primeira fase da rede do Metro do Porto (1997-2005) e continuou a ser parte integrante de todo o projecto. É uma obra de uma dimensão e de uma complexidade enormes, ao mesmo tempo que tem um impacto brutal no dia-a-dia dos habitantes do Porto. Por ser maioritariamente um metro de superfície obriga a que a cidade nos entre pelos olhos, muitas vezes a cidade que o visitante não está habituado a percorrer. É uma obra que já colecciona vários prémios, entre os quais, o Veronica Rudge Green Prize (da Universidade de Harvard) o prémio FAD “Ciutat i Paisatge” e o Grande Prémio Enor.

NEG_METRO_PORTO_004
© P3

VISEU – Museu Grão Vasco

A intervenção de Souto de Moura aconteceu entre 2001 e 2003, com o intuito de adaptar este museu em funcionamento há 101 anos às novas funções museológicas. Foi depois desta requalificação, em 2015, que foi elevado a Museu Nacional, designação que não era atribuída desde 1965 e nunca a um museu fora das grandes cidades de Lisboa, Porto e Coimbra.

Museu Grão Vasco
© Paulo Ricca

CASCAIS – Casa das Histórias Paula Rego

Esta obra utiliza certos aspectos da arquitectura da região, reinterpretando-os de uma forma contemporânea. As duas torres em forma de pirâmide de tons avermelhados fazem com este seja um edifício totalmente inconfundível, e que já é parte integrante do imaginário cascalense. Foi a própria Paula Rego que escolheu Souto de Moura como arquitecto deste museu, que promove o reconhecimento e o acesso às obras não só da pintora portuguesa, mas dos vários artistas que de alguma maneira a inspiram.

Casa Histórias Paula Rego
© HomeLovers

SETÚBAL – Casa na Serra da Arrábida

Esta casa, construída da Serra da Arrábida entre 1994 e 2002, localiza-se na berma de um aterro, no meio da natureza. Para Souto de Moura, a obra contém “uma topografia muito forte, com pontos e janelas para uma serra recortada, com episódios que era preciso fixar, registar”. A casa está fragmentada em cinco blocos, cada um deles orientado para proporcionar a vista mais impressionante possível.

Casa na Arrábida
© José Campos

PORTALEGRE – Escola de Hotelaria e Turismo

Esta escola, inaugurada em 2008, resultou de uma parceria entre Souto de Moura e a arquitecta Graça Correia, e foi encomendada pelo Turismo de Portugal. Parte do plano de reabilitação da antiga área da Fábrica Robinson, o edifício pretende ser uma caixa pousada sobre o talude existente, albergando uma ampla varanda para onde se voltam as salas de aula, biblioteca, sala de convívio, restaurante e o bar. Por estar erguida sobre um grande desnível, de um lado projecta-se sobre a planície alentejana, enquanto que de outro, na rua, é como uma caixa fechada.

Escola Hotelaria e Turismo Portalegre
© Luis Ferreira Alves

TAVIRA – Convento das Bernardas

Terminamos o nosso roteiro em Tavira, neste convento do século XVI recuperado recentemente e transformado num complexo residencial. A acta do júri do Prémio Europeu de Intervenção em Património Arquitectónico justifica ter premiado esta obra por ser um excelente exemplo de um projecto que responde às necessidades do sector privado sem comprometer as qualidades arquitectónicas e patrimoniais do convento original, transformando-o num complexo residencial de alojamento turístico.

Convento das Bernardas
© Luis Ferreira Alves

Deixar uma resposta