Inside

Design escandinavo: luz, leveza e elegância

Vamos celebrar este estilo que combina a beleza e a funcionalidade de uma forma excepcional!

O design escandinavo tomou de assalto as casas pelo mundo afora, muito por causa da IKEA e de palavras esquisitas como Hämta, Hemnes, Hurdal e Knopparp, que, de repente, passaram a fazer parte do nosso dia-a-dia.

(Por curiosidade – sabia que os nomes do mobiliário da gigante cadeia sueca têm origem numa base de dados que junta designações de lugares, pessoas ou elementos da cultura escandinava? Enquanto que, por exemplo, os acessórios de cozinha são baptizados com espécies de peixes ou de cogumelos, o sofá de pele Dagstorp vai buscar o seu nome a um memorial Viking no Sul da Suécia.)

Mas que princípios representa este tipo de design, qual é a sua história, e como é que entrou de rompante nas nossas casas e as tornou mais leves e luminosas? Será que o estamos a aplicar correctamente?

hall.jpg

Vamos começar pelo início, que é sempre a melhor forma de começar. 🙂 O estilo ficou famoso depois da edição de 1947 da Trienal de Milão, evento que é, até hoje, uma referência a nível mundial. Mobiliário, peças de vidro e acessórios fizeram sensação na mostra, privilegiando a função e a sobriedade, e com preços muito mais acessíveis. Isto levou a que alcançassem grande sucesso depois da Segunda Guerra Mundial, com trabalhos a serem produzidos em grande escala e a disseminarem-se um pouco por todo o mundo. É bastante interessante observar como as diferentes tendências do design nórdico, com a sua simplicidade de linhas e volumes, se foram introduzindo progressivamente no resto da Europa, que, de uma forma geral, sempre favoreceu estilos mais opulentos e luxuosos.

Marcada por cores pálidas, peças simples e elegantes, esta estética surgiu como uma resposta à forma de vida e às características naturais e da região. Basta pensar na Península Escandinava para nos virem à mente imagens de invernos severos, casacos de penas e muito pouco tempo de luz solar. Tudo isto obriga a que, durante longos meses, a população seja obrigada a passar muito tempo dentro de casa. Era imperativo que os interiores fossem acolhedores mas arejados, práticos e luminosos – com todos os objectos a reflectir o máximo de luz possível. Tal como a cultura onde nasceu, este design foi criado com uma sensibilidade igualitária, que pretende celebrar a elegância das coisas simples e ser, simultaneamente, acessível a todos. O resultado é um estilo que combina a beleza e a funcionalidade de uma forma excepcional!

Quer queira apenas utilizar o estilo escandinavo como inspiração ou segui-lo à risca, é importante conhecer as características que mais o definem. Fizemos um apanhado geral:

Cores claras e suaves

A palete de cores que escolhida é, claro, um dos elementos mais importantes. Com os seus invernos longos e escuros, é de prever que o design escandinavo aposte, tipicamente, em interiores brancos, em tons pastel ou da escala de cinzentos. Apontamentos pretos são, porém, muito utilizados como contraste… O essencial é que haja coesão!

quarto

Luz

É, como já dissemos anteriormente, fulcral potenciar ao máximo a luz natural. O mais habitual é utilizar cortinados leves e translúcidos ou então não os usar de todo.

janelas

Materiais

Livre-se das alcatifas e das carpetes pesadas. Há uma tendência em ter o chão (e mesmo as paredes) de madeira à vista, coberto aqui e ali com tapetes. Os armários, as mesas, as estantes, as camas, os brinquedos das crianças devem ser feitos de madeira. E não é qualquer uma – como queremos continuar nos tons pálidos, o ideal é usar madeira de faia, choupo ou pinho, entre outras.

chão de madeira

Sobriedade

Não há muita opulência ou detalhe excessivo neste tipo de estilo. Aposte em peças com linhas modernas e sóbrias.

linhas sóbrias

Minimalismo

Tradicionalmente, muitas das casas escandinavas eram muito pequenas e não permitiam a acumulação de muitas coisas. Isto levou a que o design se pautasse por ter espaços amplos desocupados e organizados.

simplicidade 2

Brinquedos

Mais uma vez, os escandinavos gostam de coisas simples e práticas – e os brinquedos de madeira e as tendas são um reflexo disso, marcando presença em muitos dos quartos de criança inspirados neste estilo.

brinquedos madeira

Plantas

As plantas são essenciais para tornar os espaços ainda mais luminosos e naturais. Já leu o nosso artigo sobre como o facto de ter plantas em casa pode contribuir para um estilo de vida saudável?

plantas

Têxteis

A verdade é que, se queremos seguir este tipo de design, temos de nos desfazer dos milhões de cobertores, cortinas e almofadas que adornam a nossa casa. Mas podemos apostar naqueles que servem uma função, ao mesmo tempo que tornam tudo mais acolhedor e confortável.

tons pastel

Deixar uma resposta