Stories

OSSOS DO OFÍCIO II – “mas, afinal, onde está a mesa?”

Ser account na HomeLovers é muito mais divertido do que pode parecer à primeira vista. Temos uma colecção de histórias que nos fazem chorar a rir, umas que parecem tiradas de filmes, outras que nos deixam de cabelos em pé. Este é o sítio onde as partilhamos convosco!
O telefone tocava insistentemente, havia visitas marcadas para quatro casas diferentes, reuniões importantíssimas do outro lado da cidade, e a chuva torrencial que teimava em não parar. Nada de novo para a nossa account S., portanto!
A meio do dia, subiu para Campo de Ourique para se encontrar com um cliente que nos tinha contactado através do Facebook. Depois de trocar alguns e-mails com ele, percebeu que esta casa ia perfeitamente ao encontro daquilo que procurava: um T4 com muita luz, boas áreas, numa das ruas mais bonitas da nossa cidade.
Quando lá chegou, estava um senhor à porta que parecia estar à espera de alguém. A nossa account apresentou-se, perguntou se era o João e o senhor anuiu timidamente. Entraram na casa, a nossa S. começou a mostrar todas as divisões…  e a única pergunta que pairava no ar era “onde está a mesa?”. A S. explicou que o apartamento tinha sido fotografado quando ainda tinha a mobília dos proprietários, mas que, entretanto, estes a tinham retirado. A verdade é que recebemos muitos contactos de pessoas que nos questionam acerca de detalhes das nossas fotografias, que se apaixonam por sofás, cómodas, estantes e até copos ou pratos! O senhor foi insistindo e a S. prontificou-se a arranjar uma mesa igualzinha, caso isso pesasse na sua decisão de ficar com a casa.
Continuaram a visita, a S. sempre a referir as mais-valias da casa: a orientação solar, os tectos trabalhados, a vista maravilhosa. Até que o senhor a puxa pelo braço, estende-lhe o telemóvel e a S. lê as mensagens trocadas com um dos vizinhos, que tinha posto uma mesa de jantar à venda no OLX e com quem tinha combinado encontrar-se à mesma hora, também à porta do prédio. O que vale é que o bom humor vence sempre e ainda se riram os dois enquanto desciam as escadas e a nossa account se desfazia em desculpas. O verdadeiro João estava à espera há quase dez minutos, mas acabou por também achar graça à coincidência incrível que tinha acontecido. E a S. ficou com mais uma história para contar. 🙂

Deixar uma resposta